WITCHES – Feminismo e ecologia!

Dividida em dois volumes, a obra e é um apanhado de contos sobre diversas bruxas inseridas em diferentes culturas espalhadas pelo mundo.

Daisuke Igarashi é um nome que você já deve ter visto aqui no PodCaverna. O mangaka é autor da bela obra Children of the Sea – que você pode conferir o post que escrevi aqui no blog, abordando essa pérola submarina. Hoje venho falar sobre Witches, outra obra do autor lançada pela Panini!

Witches é dividida em dois volumes e é um apanhado de contos sobre diversas bruxas inseridas em diferentes culturas espalhadas pelo mundo. Todas as histórias têm uma pegada ecológica e um comentário feminista por trás das protagonistas e o que elas vivem nesses pequenos contos. Alguns deles têm um final um pouco tenebroso, outros um final mais belo; porém todos compartilham dessas mensagens que são muito importantes de serem passadas adiante, especialmente vindas do Japão, um país que ainda sofre de conservadorismo em demasia.

A arte, como sempre, é belíssima e traz aquele traço característico de Daisuke. Sou suspeito para falar do mangaka, pois aprecio muito seu trabalho e quero sempre vê-lo trazendo mais novidades. Aqui no Brasil, foram feitos esses dois belíssimos volumes, com os rostos das respectivas bruxas que aparecem nas histórias. É impossível não reconhecer o traço de Igarashi; penso que uma das coisas que mais o diferencia dos demais é o jeito que compõe o ambiente à sua volta e as expressões faciais dos personagens. Muita gente argumenta que mangás de forma geral tem traços muito parecidos e uma fórmula muito igual, mas vejo que Daisuke transcende esse aspecto com o seu jeito de inovar a cada virar de páginas.

Recomendo esta leitura a todos os amantes de boas histórias e que gostam ler sobre lutas e representações dentro do estilo mangá. A nona arte precisa de mais autores e artistas com essa pegada. Estamos vivendo um momento de muita transição e certos assuntos nunca foram tão necessários de serem trazidos à pauta. Folheie estes mangás e entre nestes diferentes mundos da bruxaria, sob um olhar feminino e consciente!

Deixe uma resposta