Mulheres e Quadrinhos – uma leitura essencial para os fãs da Nona Arte!

Um livro que é um marco para os quadrinhos aqui no Brasil e que marca uma luta que já existe há anos.

Pés, para que os quero, se tenho asas para voar?

                                                                                                              Frida Kahlo        

Infelizmente, ainda vivemos numa época em que temos que batalhar pela igualdade, ao invés de a mesma vir de forma natural e orgânica. Gostaria muito que pudéssemos dar um salto no tempo ou melhor, um salto na humanidade para que toda essa opressão fosse erradicada da história de nossa espécie. Quem sabe algo mirando o universo de Star Trek ou similares? Um momento em que nossa preocupação seja somente adquirir mais conhecimento e não destruir os outros.

Hoje trago não somente uma resenha de um livro, mas um pedido a todos os leitores do PodCaverna, especialmente os de quadrinhos e mangás: leiam Mulheres e Quadrinhos. E por quê? Pois é uma leitura que, a meu ver, é importantíssima para o melhor entendimento desse universo tão interessante, desses quadros e desses balões, dessas artes e histórias que tanto nos comovem, nos moldam e nos ensinam. Esse livro é um marco para os quadrinhos aqui no Brasil e marca uma luta que já existe há anos. Muita gente nega essa luta, diz que não existe, diz que não é coisa de mulher, diz que não existem mulheres nessa área, diz que quando existem, não fazem nada realmente bom. Triste realidade, mas vamos lá dar uma clareada nessa ideia!

Afinal de contas, do que trata esse livro? Exatamente daquilo que dá título à obra: Mulheres e Quadrinhos. É uma série de artigos e entrevistas com as mais diversas artistas do meio que não somente trazem a sua arte, mas sua vivência nesse meio tóxico, preconceituoso e ainda muito dominado pelos homens. Cada capítulo traz uma história em quadrinhos com uma pegada feminista e uma lição de vida muito interessante do que essas mulheres vivem/viveram. É simplesmente emocionante, de diversas formas!

Foto tirada quando havia acabado de terminar essa leitura mega esclarecedora! Estava extasiado e queria deixar registrada a foto da minha edição (cheia de marcações).

Organizado por Dani Marino e Laluña Machado, a obra conta com um acervo de 120 artistas e estudiosas do assunto, cada uma trazendo sua experiência no ramo, seja desenhando, escrevendo, promovendo, editando etc. As meninas não somente trazem à tona a discussão de como é ser artista mulher, mas discutem também as diferentes formas de como os quadrinhos não são levados a sério nas mais diversas áreas da academia. A presença do protagonismo feminino, a jornada da heroína, o erotismo e a pornografia produzida por e para mulheres, são alguns dos assuntos que são abordados nas diferentes entrevistas, nos artigos, resenhas, e claro, nos quadrinhos. É palpável e de extrema necessidade discutirmos esses tópicos e trazer à mesa as pessoas que realmente sabem do que estão falando. Como homem, hétero, cis e consumidor desse conteúdo, é no mínimo esclarecedor saber que existem tantas mulheres no nosso país e fora dele, que produzem um material tão rico, mas que acabam por ficar nas sombras devido a opressão que ainda é muito presente na nossa sociedade e nesse nicho. Eu conheço diversas mangakas e quadrinistas de fora, mas confesso que foi nesse livro que tive maior exposição a artistas mulheres daqui do Brasil, o que é muito legal, mas infelizmente precisamos lutar ainda mais para que essas pessoas sejam mais conhecidas. Esse livro é um marco para tal.

Nessa obra você não apenas conhece artistas e roteiristas, mas sites, zines, editoras que produzem conteúdo feito por mulheres!

Gostaria de agora convidar o leitor para conhecer algumas dessas mulheres mega talentosas, como Alice Monstrinho, Carol Pimentel, Cris Camargo, Débora Kamogawa, Cris Eiko, Chairim, Sabrina da Paixão Brésio, Valéria Fernades da Silva, Beth Kodama e muitas outras. É difícil fazer uma lista quando você tem tanta gente boa no meio. Destaque para a presença de Trina Robins, a primeira mulher a desenhar a Mulher Maravilha. Sua importância para o movimento feminista é imensurável e todo o seu legado é de uma grandeza inigualável. É muito inspirador ler essas histórias e conhecer melhor essas artistas e saber tudo o que elas fazem e nos proporcionam. Vale mencionar que o livro tem uma versão Universidade, que você encontra na Amazon na qual você tem acesso aos artigos em suas versões estendidas. Infelizmente, o livro passou por uma “enxugada” pois a editora não ia dar conta de colocar todos os trabalhos ali em apenas um volume, mas o conteúdo deste ainda é muito rico! Gostaria muito de ver um próximo volume, pois agora sei que material não falta!

Conheci essa obra através da Débora do Nascimento, que havia marcado o amigo e fundador do PodCaverna, Fernando Ramos num post no Facebook que abordava o tema. Débora disse para chamarmos Dani e fazer um vídeo sobre o livro que você pode conferir aqui!

Então, você também é curioso da área e quer conhecer mais mulheres que estão produzindo um conteúdo f$#[email protected]%? Confere esse tijolão que está recheado de luta, liberdade, amor e conhecimento. E se vier alguém dizer que não existem mulheres nos quadrinhos, usa esse tijolão para provar que a pessoa está errada!

Linda arte feita pela Alice Monstrinho! A Skript arrebentou na edição! Parabéns a todas e todos os envolvidos nesse projeto sensacional!

Deixe um comentário