Black Sabbath: 50 anos do primeiro álbum de Heavy Metal da história!

Considerado por muitos a obra prima do Black Sabbath, o trabalho homônimo de estreia da banda e primeiro álbum de Heavy Metal da história completa 50 anos!

Considerado por muitos a obra prima do Black Sabbath. O álbum que fez a banda sair do chão e fazer uma turnê pela Europa, Black Sabbath é uma obra que abriu a carreira da banda com um clássico e ainda trouxe outras músicas que foram tocadas até nas últimas turnês da banda de Birmigham.

O que falar desse álbum que já não tenha sido dito? É muito complicado, ainda mais sendo um fã de carteirinha da banda. Digo que esse primeiro disco é uma ótima pedida para todos os que ainda não conhecem o trabalho da banda ou que só conhecem o lado A do Paranoid.

O álbum de estreia Black Sabbath, homônimo da banda

A abertura do disco é simplesmente icônica, os trovões e os badalares de sino logo seguidos do riff macabro que deixou a marca registrada do que viria a ser uma banda com vários trabalhos muito bem sucedidos e uma história cheia de controvérsias e polêmicas. The Wizard com aquela gaita inesquecível no começo, pouco tocada mas que ainda é muito falada pelos fãs. Behind The Wall Of Sleep que logo já emenda em N.I.B., ambas músicas clássicas no repertório da banda. O cover de Evil Woman que alavancou a banda para as rádios e que os levou à gravação do disco de estreia. Sleepling Village, uma música quase instrumental com efeitos psicodélicos no começo, faz um interlúdio perfeito para o cover de Warning e, dependendo da versão do disco que você tenha, emendando em Wicked World, canção que fecha esse discão do Sabbath com muita pressão e gosto de quero mais!

Black Sabbath em 1970. Da esquerda para a direita: Geezer Butler, Tony Iommi, Bill Ward e Ozzy Osbourne
Black Sabbath em 1970. Da esquerda para a direita: Geezer Butler, Tony Iommi, Bill Ward e Ozzy Osbourne

Um viva para essa banda, para esse disco e para todos os músicos: Tony Iommi, que mesmo com os dedos prejudicados, não deixou de tocar e compôs músicas que marcaram a história do rock/metal – Geezer Butler, com o wah wah e muita distorção no contrabaixo que fez muitos se apaixonarem pelo instrumento – Bill Ward com suas viradas e levadas jazzísticas, influenciou uma geração de bateristas e, claro… O Madman, príncipe das trevas: Ozzy Osbourne, com seus vocais que marcaram toda a sequência de álbuns do Sabbath até 1978.

Parabéns!

Black Sabbath, a banda do meu coração!

Deixe uma resposta