Larry Charles: desvendando o senso de humor dos lugares mais perigosos do mundo

Diretor norte americano produz série documental que mostra como é o humor em locais arrasados por guerras, corrupção, pobreza ou desastres naturais.

Sabe quando você está zapeando pela Netflix e acaba encontrando uma preciosidade de que nunca tinha ouvido falar?

Pois é, aconteceu comigo esses dias.

Acabei encontrando uma série chamada Larry Charles’ Dangerous World of Comedy. Rapidamente peguei meu celular e comecei a pesquisar por esse tal Larry Charles.

Larry Charles
Roteirista, diretor e produtor Larry Charles

Ele simplesmente dirigiu filmes como Borat, Brüno e O Ditador (estrelados por Sacha Baron Cohen). Além do mais, também fez parte da equipe de roteiristas de Seinfeld, considerada uma das melhores séries do mundo. Foi ele quem definiu as características de Kramer, o vizinho do Seinfeld.

Ou seja, é alguém que sabe o que está falando em termos de comédia.

DO QUE SE TRATA

Larry Charles’ Dangerous World of Comedy é uma série documental, dividida em quatro episódios, que pode ser resumida da seguinte forma:

“Sabe aqueles países considerados os mais perigosos do mundo? Tipo Nigéria, Afeganistão, Iraque, Libéria, Somália? Então, será que eles tem humor por lá? Do que eles dão risada?”

E é isso que Larry Charles faz. Exatamente como o nome da série diz: “O Perigoso Mundo da Comédia”, ele vai até esses países para tentar responder a essa pergunta.

Em uma entrevista ao jornal The Guardian, Larry conta que estava se sentindo inquieto, vivendo na gaiola dourada de Hollywood: “Eu não queria acabar sendo complacente, seguro e protegido. Não foi por isso que entrei na comédia. Eu queria descobrir o que é engraçado em diferentes ambientes. Eu queria perguntar a um membro do ISIS do que eles riem”.



HUMOR

O interessante é ver que, apesar de estarem arrasados por guerras, corrupção, pobreza ou desastres naturais, nesses países tem, sim, senso de humor.

É claro que, em algumas vezes, é um tipo de humor estranho, ruim e polêmico, como no caso da Nigéria. Ao mesmo tempo em que os temas “homofobia” e “misoginia” dominam os debates, um dos maiores comediantes daquele país ganha a vida fazendo piadas de estupro.

Mas a polêmica não fica só no campo da comédia ruim. No Iraque, o que faz a população dar risada são os programas que satirizam a situação em que eles vivem (piadas em que homens-bomba são idiotas, etc).

Inclusive, Larry entrevistou um membro do ISIS que estava preso, que disse que os guardas eram mais engraçados do que os terroristas sem humor que ele costumava andar por aí.

Em suas viagens, Larry conhece humoristas que fazem piadas sobre a epidemia de Ebola. Conversa com soldados desfigurados que tentam aliviar a dor com humor e descobre um grupo de comédia composto só por mulheres de burca.

E, é claro, nos Estados Unidos, Larry conversa com um dos expoentes da chamada “Comédia de Direita”, onde o foco é humilhar minorias.

Larry Charles’ Dangerous World of Comedy mostra como povos sofridos ainda conseguem ter aquela faísca de esperança, traduzida em senso de humor. É um documentário que o Brasil precisa assistir, e digo mais: é um documentário que precisa inspirar os humoristas brasileiros, para que não fiquem apenas surfando nas ondas de indignação de twitter.

Trailer do documentário Larry Charles’ Dangerous World of Comedy

Deixe uma resposta