Atelier of Witch Hat

Conheça este mangá criado por Kamome Shirahama que foi votado para estar no Top 10 no Japão em 2018.

Atelier of Witch Hat foi votado para estar no Top 10 de mangás no Japão em 2018, criado por Kamome Shirahama, roteirista e artista. É publicado em sua terra natal pela Kodansha e aqui no Brasil pela Panini, que, aliás, tem feito um trabalho espetacular em entregar por aqui mangás que estão saindo no Japão hoje em dia, não vivendo apenas do passado. Parabéns, Panini!

À primeira vista esse mangá já me chamou a atenção pela arte da capa. O desenho é simplesmente lindo, delicado, expressivo e muito bem detalhado. Logo quando o peguei para ler percebi como foi bem preparado, com muito cuidado para realmente se destacar dentre os outros mangás. Na primeira edição vem com um cartãozinho de boas vindas da autora, uma fofura!

Capa do primeiro volume.

A história começa com a personagem Coco vivendo tranquilamente ao lado de mãe numa casa no campo, que também é uma loja de tecidos. A personagem vive sonhando em aprender a usar magia e se tornar uma bruxa.

Um dia uma carruagem alada chega e a jovem vai verificar quem eram aqueles que vieram. É ai então que Coco conhece o bruxo chamado Quifrey que queria comprar tecidos. Ele fica impressionado com a habilidade de Coco em cortar os tecidos e diz que o que ela faz parecia magia. A menina fica encabulada e não entende como cortar tecidos pode ser chamado disso.

Quifrey então pergunta porque Coco se interessa tanto pelo tema e a jovem explica que, uma vez em uma festa em um castelo, um estranho lhe vendeu um livro, um pincel e tinta, dizendo que a magia era o que dava cor ao mundo. Ela ficou com os objetos, mas nunca os usou.



A visita ao passado de Coco é interrompida por uma explosão do lado de fora, a carruagem alada caiu em pedaços. Quifrey diz que pode consertá-la mas, como ninguém pode vê-lo enquanto o faz, ele pede para que a nossa pequena protagonista vigie a porta da casa. Porém, a própria Coco não consegue se segurar e vê como a magia funciona através de desenhos.

Daí para frente a vida de Coco nunca mais é a mesma, pois era proibido para qualquer outro que não fosse um bruxo ver como é seu funcionamento.

Essa foi uma das coisas que mais me chamou a atenção nesse mangá, como a magia é retratada em desenhos de forma artística e bela. Afinal de contas a arte é também uma magia que pode mudar a vida daqueles que a contemplam e a apreciam.

A trama do mangá começa de uma forma muito simples, mas ao decorrer dos volumes vão aparecendo mais personagens e mistérios. Existem momentos que parecem ser o fim da vida de Coco como bruxa até algo surpreendente acontecer, virar a situação e causar um desfecho fora do esperado.

Para quem é fã de Sakura Card Captors, Tsubasa, Sailormoon etc, esse mangá é uma ótima pedida, vale muito a pena conferir e entrar nesse mundo dotado de magia e arte!

Deixe uma resposta